quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

O motivo da disciplina


Você nunca encontrará na Bíblia que Deus disciplina um incrédulo. Deus não gasta Seu tempo e energia para disciplinar todas as pessoas desta terra. Ocorre o mesmo conosco. Nós não disciplinamos os filhos de nossos vizinhos. Se eles não se vestem bem ou não fazem as coisas direito, não os disciplinamos. Somente disciplinamos nossos próprios filhos. Portanto, a esfera da disciplina se limita apenas aos cristãos e o motivo da disciplina é o amor.



Extraído do livro: Em tudo uma lição...

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Estrelas no poço


Se você, por acaso, cair em um poço durante o dia (esperamos sinceramente que isso nunca aconteça!), olhe para o céu e em alguns instantes você será capaz de enxergar as estrelas. Você pode não acreditar, mas isso é um fenômeno cientificamente comprovado. O próprio poço, na sua densa escuridão, fará com que você enxergue além do que é permitido ver à luz do dia.

Se você se encontrar em tribulação, em sofrimento, em um poço escuro, olhe para o Senhor Jesus! Você, então, começará a ver o que não via antes; perceberá que há proveito na tribulação, perceberá que, mesmo ocultamente, o Senhor está ali com você. Se o Senhor permitir que você caia em um poço, não se desespere. Ali você poderá ver as estrelas enquanto aguarda o livramento de Deus.


Extraído do livro: Em tudo uma lição...

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Barulho de leão novo

O Dario orquidófilo contou-nos uma interessante história. Um grupo de amigos dele, por causa de uma pesquisa de zoologia, foram para as regiões selvagens da África. Cada noite, no acampamento, alguém ficava de vigia enquanto os demais dormiam. Certa manhã, ao acordarem, deram-se conta que o vigia desaparecera e ninguém ouvira nada. Os amigos de Dario ficaram apavorados com o fato. Na noite seguinte, mal conseguiram dormir. De repente, ouviram fortes e assustadores rugidos. Um deles gritou:
- É o mesmo leão que devorou o vigia de ontem!

Um membro da equipe, mais experiente, acalmou-o dizendo:
- Desse leão você não precisa ter medo. Esse é um leãozinho novo, que ruge para exibir-se e não permanecer "anônimo". Quem pegou nosso vigia era um leão adulto, que não faz barulho algum. Talvez ele já estivesse acompanhando nosso acampamento há alguns dias, em silêncio, esperando uma cochilada do vigia para apanhá-lo.

O pecado que nos assedia também age assim. Não há o que temer com relação ao pecado que se apresenta de maneira descarada, gritante. Esse nos assusta e fugimos dele. O pecado realmente perigoso é aquele que nos acompanha, o que ocultamos em nosso coração. Ele é silencioso, matreiro, discreto. Observa-nos, esperando o momento em que cochilamos em nossa vigilância espiritual e devora-nos sem misericórdia. Não tema o barulho do leão novo, mas o silêncio fatal do velho leão.

Extraído do livro: Em tudo uma lição...

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

2 Coríntios 5:14-15



O amor de Cristo se manifestou na cruz quando Ele morreu por nós (Gl 2:20) e hoje esse amor nos constrange.

O verbo constranger quer dizer pressionar por todos os lados, encurralar, limitar forçosamente, confinar a um objeto dentro de certos limites, restringir a uma só linha e a um só propósito.

Naquele tempo os apóstolos eram constrangidos pelo amor de Cristo a viver por Ele. Hoje, nós também vivemos e somos constrangidos por esse amor. De fato, a morte cheia de amor de Cristo é um fator motivador para vivermos uma vida de amor por Ele.

No versículo 15 fala de como devemos viver por Deus. Viver para o Senhor é mais profundo em significado do que viver dedicado a Ele. Viver dedicado ao Senhor implica que eu e o Senhor somos dois; viver para Ele indica que eu sou um com Ele, como a esposa é uma com o marido.

Amém pela revelação dessa palavra. Que o nosso andar diário seja para o Senhor. Que a cada dia sejamos mais constrangidos pelo amor de Deus!

Extraído da página: Versículos da bíblia

Vitória

Nossa maior vitória é sermos conquistados por Cristo.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Iceberg à vista!


Os comandantes de navios que navegam pelo mar temem os grandes blocos de gelo conhecidos como icebergs. No entanto, sabemos que o maior perigo não está na parte visível do iceberg, mas na parte submersa, que é dezenas de vezes maior que a parte visível. Ao alerta da sentinela - "iceberg à vista" -, o capitão do navio imediatamente envia ordem aos navegadores para que tomem outra rota, desviando-se, então, do perigo. Somente navegadores inexperientes menosprezam aquele "pedacinho de gelo flutuante" que em instantes pode levar uma embarcação a pique.

Muitos naufragam na fé por menosprezar um "iceberg" em sua vida. Um pecado aparentemente pequeno, considerado sem importância, pode levar-nos a afundar na fé. Mantenhamos nossos alhos espirituais bem abertos para ver além da simples aparência. Exercitemos o discernimento espiritual que Deus nos deu e assim nos livraremos de qualquer acidente no percurso de nossa vida de fé. Lembremo-nos das palavras de um "navegador" experiente, o apóstolo Paulo: "Foge, outrossim, das paixões da mocidade. Segue a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor (...) Abstende-vos de toda forma de mal" (2 Timóteo 2:22; 1 Tessalonicenses 5:22).

Extraído do livro: Em tudo uma lição... 

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Testemunho de fé

Nos muros de um abandonado e tétrico calabouço localizado nos arredores da cidade de Colônia (Alemanha), logo após o término da Segunda Guerra Mundial, foram encontrados os seguintes escritos de um prisioneiro: "Creio no sol, mesmo quando ele não brilha. Creio no amor, mesmo quando não o sinto. Creio em Deus, mesmo quando Ele permanece silencioso" (James C. Hefley).

Extraído do livro: Em tudo uma lição... 

domingo, 15 de janeiro de 2017

João 20:17


Em João 15:15, o Senhor Jesus eleva a condição dos Seus discípulos de servos para amigos. Nós, éramos os Seus muitos servos e passamos a ser considerados amigos.
Agora, nesse versículo nossa condição é elevada novamente e isso é muito precioso. O termo "meus irmãos" é mencionado pelo Senhor Jesus a primeira vez.
Anteriormente, o termo mais íntimo que o Senhor havia usado ao ao referir-se aos Seus discípulos foi "amigos" (Jo 15:14-15). Mas, após a Sua ressurreição, Ele passou a chama-lo de irmãos. Por meio dá Sua ressurreição, Seus discípulos foram regenerados (1Pe 1:3) com a vida divina.
Ele era o Filho único do Pai. Mediante a Sua morte e ressurreição, o Unigênito do Pai tornou-se o Primogênito e nós os Seus muitos irmãos.

Extraído da página: Versículos da Bíblia

sábado, 14 de janeiro de 2017

Gálatas 5:13




Todos nós passamos por essa experiência. Um belo dia algo muda em nós e do nada queremos servir a Deus. Como isso acontece? Como alcançamos um coração desejoso de ser usado pelo Senhor?

Para nós, até ter o coração disposto a ser usado pelo Senhor é o resultado de uma extraordinária obra de visitação do Senhor a nós. Somente quando o Senhor nos visita o nosso coração muda para Ele.
A obra de visitação do Senhor é muito mais grandiosa do que a obra do Senhor ao nos criar.
Antes nós nem nos importávamos com Ele e do nada , para nossa surpresa, agora temos o desejo de servir-Lo. Isso é prova da visitação do Senhor e de que a Sua graça veio a nós.
Nos últimos milhares de anos, Deus veio ao homem e o visitou inúmeras vezes. Infelizmente, não são muitos na igreja hoje que sentiram Sua visitação. Deus sempre vem ao homem, contudo, o homem muitas vezes O põe de lado.
Não devemos pensar que, para obter o chamado de Deus, precisamos ouvir uma voz como a de trovão ou ver uma grande luz como Paulo viu no caminho para Damasco (At 9:3; 22:6). Na verdade, em princípio, a voz mansa e suave dentro de nós não é diferente do chamado que Paulo recebeu na estrada para Damasco.
Podemos usar a luz do sol como ilustração. Embora haja diferença entre a intensidade do calor da luz tênue vista ao amanhecer e a dos raios brilhantes vistos ao meio-dia, o sol é o mesmo. De igual modo, embora Deus às vezes chame o homem de modo extraordinário, na maior parte das vezes Ele aparece ao homem e o visita de modo comum.
A visitação de Deus ao homem é a confirmação de Seu desejo de usá-lo e o início de Seu uso do homem.
Que possamos ser fiéis ao chamado do Senhor e a Sua visitação. Jesus te ama!

Extraído da página: Versículos da Bíblia

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Tratamentos e o Conhecimento são Inseparáveis


Nada é mais precioso em nossa vida terrena do que conhecer a Deus. Para conhecê-lo, precisamos receber seu tratamento em todas as coisas. Precisamos receber seu tratamento na questão de conhecê-lo bem como na questão da oração. Precisamos tratar do ambiente bem como do pecado. Vamos inquirir quanto ao significado de tudo o que nos acontecer. Há alguma exigência de Deus? O indolente nunca chegará a conhecê-lo. Conhecemo-lo através da oração; conhecemo-lo mediante a comunhão com Ele. Deveríamos aprender com Paulo, que orou ao Senhor não apenas uma vez, mas duas e três vezes até que o Senhor lhe respondeu. Deveríamos também aprender com nosso Senhor que, no jardim do Getsêmani, orou: “Meu Pai, se não é possível passar de mim este cálice sem que eu o beba, faça-se a tua vontade” (Mt 26:42). Ele orou não apertas uma vez, mas a segunda e a terceira vez até ter certeza sobre essa questão. Oremos também primeira, segunda e terceira vez até recebermos resposta de Deus. Somente dessa maneira é que podemos conhecer a Deus.
Posso dizer algumas poucas palavras a meus colegas? Não podem sair a trabalhar se não tiverem aprendido como tratar com Deus bem como a serem tratados por Deus, pois nem mesmo podem ser comparados a um bom cristão. Se vocês não conhecem o caminho de Deus, nem seu procedimento, nem sua natureza, que é que os torna diferentes das outras pessoas? Vocês podem dar-lhes algumas idéias espirituais, mas não podem guiá-las no caminho espiritual. Nem todos os que lêem o guia de Hanchow ou de Pequim já estiveram em Hanchow ou em Pequim. Nem todos os que têm um livro de arte culinária já experimentaram as receitas do livro. Da mesma forma, vocês não podem guiar as pessoas se nada tiverem além do conhecimento da Bíblia.

No entanto, não é suficiente também ter apenas experiência sem o conhecimento da Palavra, pois nesse caso não se terá as palavras adequadas para ajudar as pessoas. O Senhor diz: “Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus” (Mt 22:29). Tal é sua repreensão. Muitos crentes têm falta de conhecimento bíblico e do poder divino. Muitos têm apenas uma pequena idéia espiritual; cada qual imagina as coisas sem saber como realmente são. Alguns podem ensinar outras pessoas porque seus cérebros são mais fortes e conseguem lembrar-se um pouco mais da doutrina. Ó irmãos, este é um fenômeno demasiadamente trágico! Que possamos aprender a conhecer a Deus tanto em sua vontade como em oração. Nós podemos conhecê-lo. Nada é mais importante que isto. Não vamos guardar a luz que temos em nossos cérebros; busquemos, antes, conhecer a Deus e receber seus tratamentos.

Extraído do livro: Conhecendo a Deus em oração e em Sua vontade