quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Barulho de leão novo

O Dario orquidófilo contou-nos uma interessante história. Um grupo de amigos dele, por causa de uma pesquisa de zoologia, foram para as regiões selvagens da África. Cada noite, no acampamento, alguém ficava de vigia enquanto os demais dormiam. Certa manhã, ao acordarem, deram-se conta que o vigia desaparecera e ninguém ouvira nada. Os amigos de Dario ficaram apavorados com o fato. Na noite seguinte, mal conseguiram dormir. De repente, ouviram fortes e assustadores rugidos. Um deles gritou:
- É o mesmo leão que devorou o vigia de ontem!

Um membro da equipe, mais experiente, acalmou-o dizendo:
- Desse leão você não precisa ter medo. Esse é um leãozinho novo, que ruge para exibir-se e não permanecer "anônimo". Quem pegou nosso vigia era um leão adulto, que não faz barulho algum. Talvez ele já estivesse acompanhando nosso acampamento há alguns dias, em silêncio, esperando uma cochilada do vigia para apanhá-lo.

O pecado que nos assedia também age assim. Não há o que temer com relação ao pecado que se apresenta de maneira descarada, gritante. Esse nos assusta e fugimos dele. O pecado realmente perigoso é aquele que nos acompanha, o que ocultamos em nosso coração. Ele é silencioso, matreiro, discreto. Observa-nos, esperando o momento em que cochilamos em nossa vigilância espiritual e devora-nos sem misericórdia. Não tema o barulho do leão novo, mas o silêncio fatal do velho leão.

Extraído do livro: Em tudo uma lição...

Nenhum comentário:

Postar um comentário